medjugorjebrasil




Entrevistas
  • Voltar






17/12/12
16. OS VIDENTES E AS AUTORIDADES CIVIS E ECLESIÁSTICAS



16. OS VIDENTES E AS AUTORIDADES CIVIS E ECLESIÁSTICAS

 

Yanko -   No começo você me disse que ninguém os compreendia, e isso não era mesmo de esperar. É compreensível que as autoridades civis e eclesiásticas tivessem se intrometido na vida de vocês. Entendo que as autoridades civis não tenham com­preendido e tenham até querido abafar esta história. E conheço o método que usaram para alcançar seus propósitos. Diga-me, porém, qual foi a atitude das autoridades eclesiásticas.

Vicka -   Eles também nos aborreceram.

Y. Como assim?

V. No começo, o pároco, Frei Jozo. Os outros padres também. Eles nos interrogaram sem cessar. Suspeitavam de nós e nos inco­modavam. Quer mais incômodo que isso?

Y. Quer dizer que o bispo também interrogou os videntes?

V. Sim, antes da festa de São Tiago. Neste dia ele teve a confirma­ção em nossa casa. Ele veio e nos fez jurar que diríamos a verdade. Em seguida nos interrogou.

Y. O que ele perguntou?

V. Se tínhamos visto Nossa Senhora. Como fora e o que Nossa Senhora havia dito etc.

Y. Parece que nesta ocasião houve um mal-entendido entre o bis­po, Mirjana e Ivanka.. .

V. Sim, de certa forma. Elas estavam tão assustadas com o fato de terem prestado juramento que disseram ter ido fumar na colina.

Y. Mas fumaram mesmo?

V. Se disseram, não há dúvida. Não diriam isso por brincadeira. Mas elas não foram à colina fumar. Podiam fazê-lo em suas casas. Então, o bispo disse que elas mentiam porque não dis­seram tudo logo.

Y. Mas elas saíram da vila para fumar?

V. Não. Tínhamos combinado desde cedo ir passear à tarde. Eu já contei que foram sem mim e que as encontrei mais tarde.

Y. E você também fumou?

V. Até você? Não. E se tivesse fumado que importância teria? O bispo tentou me pregar esta peça. Não posso dizer que sim se não é verdade. Y. E o bispo anotou as respostas que vocês deram?

V. Não. Ele gravou tudo.

Y. Você tentou convencê-lo de que isso não era verdade ou algo assim?

V. Não. Naquela época ele não era como agora. Ele nos pediu para sermos bons, que rezássemos a Nossa Senhora etc.

Y. E como vocês se despediram?

V. Bem. Amigavelmente. Tudo estava bem.

Y. E vocês estavam felizes?

V. Pode estar certo que sim.

Y. Mais tarde houve mal-entendidos entre o bispo e vocês?[1]

V. Houve. Mas não foi por nossa culpa que esta notícia se espa­lhou. Você já me perguntou isso. Diga você mesmo o que lhe contei. Mas é melhor esquecer esse assunto.

Y. Certo. Com o tempo tudo será explicado. Alimentemos a es­perança e rezemos para que tudo se esclareça.



[1]   Sobre esse equivoco, René Laurentin, La Vierge apparait-elle à Med-jugorje?, op. cit., p. 129-135.



Artigo Visto: 6734